O Cantinho da Bó Fá é um espaço dedicado aos meus tesouros. São a minha vida. Vivo "deles" e para eles. Aqui pretendo transmitir as alegrias de ser avó. Y otras cositas más...

.historias recentes

. 6 meses de uma saudade im...

. Parabéns meu Pai!!!!

. Carta para o meu Pai

. Não está fácil... não mes...

. Até quando esta dor?

. Não são boas as noticias

. ...

. Para variar...

. Do fim de semana...

. Da escola...

.O que para aqui vai...

. Janeiro 2014

. Setembro 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

Terça-feira, 11 de Novembro de 2008

O Pikus

 

 

                          (Imagem retirada da net)

 

É um ouriço que encontrámos no Sábado à noite.

 

E quase era atropelado quando atravessava a estrada, o pobre.

 

Eu, apesar de nada e criada no campo, há certas espécies que me "fazem espécie" como se diz por lá. Isto para dizer que me deu um certo trabalho conseguir metê-lo num saco (único recipiente (?) disponível) que trazia no carro.

 

Os meus tesouros saltavam e gritavam à volta dele. Claro, nunca tinham visto ao vivo um bichinho daqueles. Até porque os ouriços são muito ciosos da sua vidinha e só muito raramente se deixam ver.

 

Chegados a casa lá o "aprisionámos" num recipiente mais adequado.

Deixámos-lhe comidinha e fomos dormir a pensar como é que o iríamos encontrar na manhã seguinte.

 

O facto é que o Pikus tinha resistido à sua primeira noite em cativeiro e até comeu.

Como tinha casa para ele cogitámos a hipótese de o adoptar como "animal de estimação". Foi batizado e tudo...

 

Mas, depois de pensar melhor, decidimos devolvê-lo à liberdade. Afinal era um animal "selvagem" que teria, decerto, dificuldades em adaptar-se a uma vida de prisioneiro.

 

Depois de almoço fui, com os meus tesouros, deixar o Pikus num local de pouca passagem, na esperança de que ele se conseguisse esconder e, dessa forma, continuar a sobreviver por aquelas bandas.

 

Senti-me bem com a decisão que tomei, mas um nadita de mim gostaria de o ter trazido e ter tentado adaptá-lo à vida caseira. lol.

 

Quanto aos meus tesouros, deliraram com a "aventura" e com o facto de terem visto, ao vivo, um ouriço-cacheiro no seu ambiente natural.

 

É com pequenas coisas como esta, tão simples, que lhes tento incutir o gosto pelas suas raízes. A aldeia, as pessoas simples, a terra e os animais.

 

sinto-me: Amiga dos animais
tags:

publicado por Fá às 10:15

link do post | Vá...comentem | favorito

2 comentários:
De Antes assim... a 11 de Novembro de 2008 às 17:05
Foi uma bela lição de ciências naturais!!! Oportunidades dessas são mesmo preciosas... e bem divertidas!!

Beijinho


De a 11 de Novembro de 2008 às 18:08
Divertidissimas. E a raridade com que acontecem tornam-nas assim, preciosas. Acho que eles se vão lembrar por muito tempo. Beijinhos


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds